Inciativa implementada em escolas de regiões pobres mostra resultados que vão além da luz durante a noite

Como levar luz para as crianças que vivem metade de suas vidas sem ter na escuridão? A organização sem fins lucrativos Empower Playgrounds surgiu com uma solução: criou uma série de gira-giras que geram e armazenam energia elétrica quando acionados. Ou seja, eles geram energia conforme as crianças brincam.

A intenção do projeto é não só levar luz até as crianças, mas incentivar os estudos, criando grupos que compartilham as lanternas, e também incentivar as meninas a irem para a escola, tornando-as líderes dessas equipes – nos locais mais pobres, as famílias não tem dinheiro para mandar todos os filhos para as aulas, pro isso só os meninos vão e as meninas ficam em casa.

Eles foram instalados em várias escolas de Gana. Muitas delas sofrem com problemas de energia e quase nenhuma tem playgrounds. Mas, como estudos feitos pela organização apontam que uma criança saudável entre 8 e 12 anos gera cerca de 150 watts por hora enquanto brinca, os novos gira-giras foram criados para canalizar essa energia e armazená-la em baterias.

Além de ser usada para abastecer as escolas, essa energia também pode carregar uma série de lanternas de LED que são distribuídas entre as crianças para que elas as levem para casa e estudem depois do anoitecer – em Gana os dias e as noites duram exatamente 12 horas, o que significa metade do dia na escuridão para quem não tem energia elétrica. Cada lanterna consegue funcionar por 50 horas com uma única recarga.

Instalar esse sistema em uma escola custa cerca de US$ 10.000. Ele é capaz de fornecer energia elétrica para 200 crianças por pelo menos cinco anos, o que resulta num custo de US$10 por ano por cada criança. Ou seja, menos de um dólar por mês para evitar que as crianças de Gana passem metade de suas vidas na escuridão.

Be Sociable, Share!